Ação Blasfema

Atentado poético resultado da Residência para Despatriarcalização, realizada na Casa de Cultura da Vila Guilherme em parceria com Maria Galindo do grupo Mujeres Creando (Bolívia)

Concepção e Direção: Maria Galindo

Local: Templo de Salomão - Brás - São Paulo

Premissa: Resultado estético-terrorista da Residência para  Despatriarcalização com Maria Galindo (Bolívia), esta ação política é uma resposta coletiva à influência patriarcal e colonizadora típica dos fanáticos de setores da religião cristã. Protegidos por uma imunidade diplomática, promovida pela intervenção das instituições neoliberais pacifistas, as igrejas vem conduzindo e coreografando corpos dissidentes de maneira cada vez mais violenta e autoritária. No contexto brasileiro, em que estes manipuladores religiosos cada vez mais ocupam cargos na política, soa muito estranho que estas forças não sejam combativamente confrontadas. As ações blasfemas são um conjunto de expressões coletivas, que levam em consideração a autoria e a legitimidade da fala de cada uma em um ambiente de rebeldia coletiva. 

Atentado: Cada mulher do grupo, recebe uma Bíblia e um poster com imagem religiosa. Selecionam, no livro o capitulo ou versiculos que mais lhe impedem de existir enquanto singularidade no mundo. Depois, escolhem um verbo e escrevem sobre o poster, que é pendurado com um barbante em seus pescoços. Por fim, seguem em frente a um monumento religioso (no caso, o Templo de Salomão da Igreja Universal do Reino de Deus, em São Paulo) e formam um fila. Enquanto transformam seus verbos em ações físicas, vão devorando seus capitulos do livro e regurgitando em frente ao Templo.

Sequelas: O que me mobiliza e o que me paralisa? Quais forças incontestáveis podem ser quebradas e destituídas de seu lugar imune quando emanamos a potência do coletivo?

© 2021 por Murilo Gaulês & Diego Nascimento.