Bacanal

Convivência poético terrorista elaborada em coletivo durante o processo de pesquisa sobre "As Poéticas do Terrorismo e a Ocupação da Rua"

Concepção e Direção: Murilo Gaulês

Local: Praça do Jaçanã

Premissa:

substantivo feminino

  1. festa em honra a Baco, o inventor mitológico do vinho, celebrada em Roma, à imitação das festas dionisíacas gregas; bacanálias.

    • orgia sexual entre mais de duas pessoas.

  2. POR EXTENSÃO

    festa em que reina a devassidão; orgia.

  3. adjetivo de dois gêneros

    marcado pela volúpia; carnal, licencioso, orgíaco.

Atentado: Trata-se de um espaço de convivência que dura uma noite inteira, regado a vinho e música. É uma ocupação estético terrorista durante a qual são homenageadxs figuras de luta da representatividade LGBT+. As atividades que atravessam a noite do bacanal são coreografadas de acordo com o contexto histórico, geográfico, político e social do espaço ocupado. Em sua primeira edição, na praça do Jaçanã, quatro bruxas homenageiam Dandara dos Santos, Itaberly Lozano, e Luana Barbosa dos Reis.